Menu

O Lugar certo da emoção!

Wellington credita sucesso do Vasco ao excelente trabalho em equipe

16 FEV 2018
16 de Fevereiro de 2018
Se enganou quem achou que a goleada aplicada sobre o Jorge Wilstermann, pelo primeiro jogo da terceira fase da Conmebol Libertadores 2018, fosse provocar algum tipo de relaxamento no Vasco da Gama. Ciente da necessidade de um bom resultado também na segunda partida, que será disputada na próxima semana na Bolívia, o Gigante da Colina fez um intenso treinamento na tarde desta sexta-feira (16/02), no CT de Vargem Grande.
 
Seguindo à risca a metodologia do CAPRRES, os jogadores que iniciaram o último duelo realizaram uma atividade regenerativa. Os demais atletas, incluindo Riascos, Rildo e Thiago Galhardo, que atuaram durante a etapa final na quarta (14), em São Januário, suaram a camisa durante jogo-treino contra o time sub-20. O amigável terminou com triunfo dos profissionais por 3 a 0, com gols de Riascos, Fabrício e Rildo.

Destaque do Cruzmaltino no animado início na Conmebol Libertadores, Wellington foi o escolhido para conceder entrevista coletiva. Na ocasião, o volante festejou a sequência de partidas no time titular e destacou a força coletiva do grupo vascaíno. Para o camisa 7, o segredo do Almirante nesse início da temporada está no comprometimento de cada atleta com uma das camisas mais pesadas do país.
 
- Se fala muito da defesa quando não se toma gol. E também do ataque quando não se faz. Acredito que o nosso sucesso está no coletivo. Se todo mundo não estivesse comprometido, correndo e se dedicando em campo, o rendimento não estaria sendo esse. Cada um está ajudando o outro e dando melhor na busca por resultados positivos para o Vasco - declarou Wellington.
 
A manutenção do foco é algo considerado essencial por Wellington para o reencontro com o Jorge Wilstermann, na quarta-feira (21), às 21h45, em Sucre. O meio-campista alertou para os perigos da altitude e lembrou o recente retrospecto do adversário jogando em seus domínios. De acordo com ele, o Gigante da Colina não irá entrar em campo para administrar a boa vantagem construída no Rio de Janeiro.

- A dificuldade não será apenas a altitude, mas também o adversário. Não vai ser fácil. Já joguei duas vezes em La Paz e conheço bem essa questão da altitude, mas quem almeja chegar longe numa competição como a Libertadores precisa se superar. Esse é o pensamento do nosso grupo. Não tem nada definido. Temos que ter humildade e sabedoria para fazer um bom jogo e sair de lá com a classificação - afirmou o volante.

TEXTO: VASCO
FOTO: PAULO FERNANDES/VASCO
Voltar
Tenha você também a sua rádio